Please use this identifier to cite or link to this item: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/40431
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorTeixeira, Elizabeth Mª Fleury-
dc.contributor.authorChrystus, Mirian-
dc.date.accessioned2021-05-13T15:53:47Z-
dc.date.available2021-05-13T15:53:47Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationTEIXEIRA, Elizabeth Mª Fleury; CHRYSTUS, Mirian. No curso dos rios e das leis: a luta por políticas públicas de enfrentamento da violência contra a mulher. Cadernos da Escola do Legislativo, Belo Horizonte, v. 21, n. 35, p. 11-53, jan./jun. 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttps://dspace.almg.gov.br/handle/11037/40431-
dc.descriptionA Coleção Memória não possui exemplar impresso desta publicação.-
dc.description.abstractNeste artigo, fazemos um resgate da verdadeira origem do Movimento Quem Ama Não Mata, de Minas, que desempenhou no país papel relevante e precursor no enfrentamento aos assassinatos de mulheres. Ao mesmo tempo, vinculamos o impacto por movimentos feministas, tais como este, à construção de políticas para mulheres nas três esferas de governo, mostrando que a estratégia de criação de leis brasileiras dotando as mulheres de direitos e respectiva cidadania foi estratégia criada (também com ajuda de juristas brasileiras) na esfera internacional. Discutimos ainda que requisitos são exigidos para que demandas sociais se tornem políticas públicas e produzam de fato as mudanças propostas em leis. Por fim, apontamos a importância das mudanças nos hábitos e costumes, noção de moral coletiva que irá de fato legitimar as conquistas legais e seus desdobramentos na vida social.pt_BR
dc.languagePortuguês (Brasil)pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherAssembleia Legislativa do Estado de Minas Geraispt_BR
dc.subjectMulher - Políticas Públicaspt_BR
dc.subjectViolência contra a mulher - Brasilpt_BR
dc.subjectFeminismo - Brasilpt_BR
dc.subjectDireitos da mulher - Brasilpt_BR
dc.subjectFeminicídio - Brasilpt_BR
dc.titleNo curso dos rios e das leis: a luta por políticas públicas de enfrentamento da violência contra a mulherpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.translatedIn this article, we retrieve the true origin of the Quem Ama Não Mata Movement, from Minas Gerais, which played a relevant and precursor role in the country in tackling the murders of women. At the same time, we link the impact by feminist movements such as this one, to the construction of policies for women in the three spheres of government, showing that the strategy of creating Brazilian laws endowing women with rights and their citizenship was a strategy created (also with help of Brazilian lawyers) in the international sphere. We also discussed what requirements are required for social demands to become public policies and actually bring about the proposed changes in laws. Finally, we point out the importance of changes in habits and customs, a notion of collective morality that will in fact legitimize legal achievements and their consequences in social life.pt_BR
dc.publisher.placeBelo Horizontept_BR
Appears in Collections:Cadernos da Escola do Legislativo, v. 21, n. 35, jan./jun. 2019

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Capitulo1-No curso dos rios e das leis.pdf884,08 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.