Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/29
Tipo: Relatório Técnico
Título: A transposição do rio São Francisco: uma análise histórica e socioambiental
Autor(es): Santos, Maria Beatriz Gontijo dos
Santos, Maria Elisabete Gontijo dos
Meyer, Mônica Ângela de Azevedo
Coordenador(es) da obra: Santos, Márcio Roberto Alves dos
Local: Belo Horizonte
Editora: Escola do Legislativo, Assembleia Legislativa de Minas Gerais
Data do documento: 2006
Notas: Relatório de finalização do projeto de pesquisa A transposição do rio São Francisco: uma análise histórica e socioambiental, desenvolvido no âmbito do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Escola do Legislativo da Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, entre março de 2005 e julho de 2006, com apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Fapemig.
Citação: SANTOS, Márcio Roberto Alves dos et al. A transposição do rio São Francisco: uma análise histórica e socioambiental. Belo Horizonte: Escola do Legislativo, Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, 2006. 192 p.
Resumo: A pesquisa partiu de dois enfoques centrais para situar o projeto de transposição de parte das águas do São Francisco para as regiões semi-áridas do Nordeste. O enfoque histórico permitiu analisar a transposição como um dos grandes projetos de intervenção técnica no vale do rio. Essa intervenção se instala a partir dos estudos e projetos elaborados em meados do século XIX, para a introdução da navegação a vapor ao longo do rio e dos seus maiores afluentes, e se consolida no século seguinte, com a implantação das usinas hidrelétricas e dos seus reservatórios ao longo do São Francisco. A transposição, se realizada, se colocaria em linha com esses macroimpactos impostos ao perfil natural do rio, consolidando a abordagem técnica e o controle tecnológico do vale do São Francisco. O enfoque socioambiental do projeto, por seu turno, baseou-se nos resultados da pesquisa de campo realizada no trecho médio superior São Francisco (Pirapora a Manga) para traçar um perfil da relação entre a população ribeirinha e o rio, mediada pelos usos, percepções e representações dos corpos d’água da região. Foi investigada a percepção que essa população tem das alterações ambientais sofridas pelo rio; as suas relações de intimidade com os corpos d’água; a sua percepção de pertencimento à bacia; e a forma como as políticas públicas que envolvem o vale, em especial o projeto de transposição, são recebidas pelos ribeirinhos.
Sumário: Apresentação, p.4
Introdução, p.6
Metodologia, p.10
O projeto de transposição no contexto das intervenções técnicas no vale do São Francisco, p.16
A recepção das políticas públicas para o vale e a participação popular no médio superior São Francisco, p.51
A percepção socioambiental da população residente no médio superior São Franscisco, p.86
A relação da população com as águas do rio São Francisco, p.151
Conclusões, p.183
Referências, p.189
Assunto: Rio São Francisco - Brasil
Rio São Francisco - Transposição de águas
Percepção socioambiental - Minas Gerais
Intervenção tecnológica - Minas Gerais
Participação política - Minas Gerais
URI: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/29
Número de classificação (CDU): 631.67(812/813)
Idioma: Português (Brasil)
Aparece nas coleções:Meio ambiente (Memória)
Relatórios

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
0029.pdfA transposição do rio São Francisco: uma análise histórica e socioambiental6,23 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.