Please use this identifier to cite or link to this item: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/16531
metadata.dc.type: Artigo
Title: A responsabilidade social e a sustentabilidade do setor bancário pela redução de acidentes de trabalho
Authors: Lopes, Fernando Fonseca
Scharmach, Andréia L. R.
metadata.dc.publisher.place: Belo Horizonte
Publisher: Fórum
Issue Date: 2014
metadata.dc.relation.ispartof: Revista Brasileira de Estudos da Função Pública [recurso eletrônico]
Citation: LOPES, Fernando Fonseca; SCHARMACH, Andréia L. R. A responsabilidade social e a sustentabilidade do setor bancário pela redução de acidentes de trabalho. Revista Brasileira de Estudos da Função Pública [recurso eletrônico], Belo Horizonte, v.c3, n. 9, set./dez. 2014. Disponivel em: <http://dspace/xmlui/bitstream/item/16811/PDIexibepdf.pdf?sequence=1>. Acesso em: 25 mar. 2015.
Abstract: O equilíbrio entre instituições financeiras e trabalhador bancário na redução de acidentes de trabalho no setor é de fundamental importância para fortalecer as relações de trabalho, as instituições e a sociedade como um todo. O objetivo geral do presente artigo é analisar, qualitativa e quantitativamente, através do método indutivo, essa relação, onde, de um lado, está a necessidade dos gestores em apresentar melhores resultados ao acionista que valoriza práticas sustentáveis e responsáveis socialmente, aliadas à rentabilidade e ao lucro, e disputados no mercado extremamente competitivo; de outro, os trabalhadores bancários que adoecem para cumprir metas, envolvidos na rotina diária de atendimento telefônico e ao público, e são pressionados com treinamentos excessivos, horários exíguos, práticas discriminatórias e de assédio. Além do risco ergonômico, tais fatores agridem a saúde mental desses trabalhadores, tornando o meio ambiente de trabalho ainda mais insalubre quando gestores mal treinados ou mal intencionados, porém, não menos exigidos, aumentam o grau de risco de acidentes de trabalho nas agências bancárias. Esse embate entre capital e trabalho gera prejuízos aos envolvidos pela inobservância da legislação e gestão equivocada de pessoas e resultados. Tais práticas fiscalizadas e coibidas pelos órgãos oficiais afetam a saúde do trabalhador, oneram custos de folha, resultam em condenações, indenizações, tratamentos de saúde, custas processuais, honorários advocatícios, devolução aos cofres públicos de valores pagos em benefícios decorrentes de acidentes de trabalho, sobrecarga do judiciário, etc. Neste breve artigo, pretende-se abordar a sustentabilidade das instituições financeiras e suas responsabilidades sociais diante de tal quadro
metadata.dc.description.summary: 1 - Introdução; 2 - Das insustentabilidades, responsabilidades e dos ônus decorrentes de acidentes de trabalho bancário; 3 - Tipos de acidentes, agentes etiológicos e fatores de risco de natureza ocupacional do setor; 4 - A sustentabilidade e a responsabilidade social são requisitos para o futuro das empresas bancárias; 5 - Responsabilidade social é lição de casa para instituições financeiras; 6 - Sugestões para redução de risco de acidente de trabalho psicológico; 7 - Conclusão; – Referências
Keywords: Acidente do trabalho - Brasil
Doença profissional - Brasil
Bancário - Brasil
Ambiente do trabalho - Brasil
Condições de trabalho - Brasil
Assédio moral - Brasil
Bancos - Responsabilidade - Brasil
Responsabilidade social - Brasil
metadata.dc.subject.planning: Trabalho, Emprego e Renda
metadata.dc.identifier.other: 132141
URI: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/16531
metadata.dc.identifier.classification: 331
metadata.dc.language: Português (Brasil)
Appears in Collections:Revista Brasileira de Estudos da Função Pública

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PDIexibepdf.pdf438,64 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.