Please use this identifier to cite or link to this item: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/15373
metadata.dc.type: Artigo
Title: Rumo a uma sociedade residual no Brasil? : considerações sobre risco, consumo e resíduos na sociedade pós-moderna
Authors: Guerra, Sidney
metadata.dc.publisher.place: Belo Horizonte
Publisher: Fórum
Issue Date: 2013
metadata.dc.relation.ispartof: Revista da Procuradoria-Geral do Município de Belo Horizonte [recurso eletrônico]
Citation: GUERRA, Sidney. Rumo a uma sociedade residual no Brasil?. considerações sobre risco, consumo e resíduos na sociedade pós-moderna. Revista da Procuradoria-Geral do Município de Belo Horizonte [recurso eletrônico]. Belo Horizonte, v.6, n.11, jan./jun. 2013. Disponível em: <http://dspace/xmlui/bitstream/item/16342/PDIexibepdf.pdf?sequence=1>. Acesso em: 4 mar. 2015.
Abstract: A crise ambiental que hoje se faz sentir de maneira cada vez mais intensa no mundo, como consequência do modelo de crescimento econômico e demográfico implementado durante o curso do século XX, começa a oferecer sinais claros de que estamos ultrapassando os limites de suportabilidade natural do planeta. Esses limites podem ser sentidos no plano global de várias maneiras e com sérios reflexos sociais e econômicos: a) o contínuo desaparecimento de espécies da fauna e da flora; b) a perda de solos férteis pela erosão e pela desertificação; c) o aquecimento da atmosfera e as mudanças climáticas; d) a diminuição da camada de ozônio; e) a chuva ácida; f) o colapso na quantidade e na qualidade da água; g) o acúmulo crescente de lixo e resíduos industriais. Nesse contexto, evidencia-se que tem ocorrido em larga escala contaminação dos solos e das águas, poluição atmosférica e visual, desperdício de materiais cada vez mais escassos e do espaço urbano, produzidos em larga medida pelos resíduos, que explicam a crescente conflituosidade social em torno de aterros e lixões, instalações de incineração e centrais de compostagem. Apesar de estarmos inseridos numa sociedade residual, onde não só se produzem cada vez mais resíduos, como se tem cada vez maior dificuldade em encontrar formas e locais adequados para a sua gestão, evidencia-se que quando eles são bem geridos a sua gestão pode-se transformar num negócio economicamente interessante. Nesse sentido, ganha relevo no Brasil a Lei Federal nº 12.305/2010, objeto deste estudo, que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos, cuja legislação aborda um dos maiores desafios, em termos ambientais, das políticas públicas voltadas à diminuição dos índices de poluição e degradação do meio ambiente.
metadata.dc.description.summary: 1 - Introdução; 2 - Sociedade de risco; 3 - Indivíduo x consumo x resíduos na sociedade pósmoderna; 4- A Lei nº 12.305/2010; – Aspectos gerais; 5 - Considerações finais; Referências
Keywords: Degradação ambiental - Controle - Brasil
Resíduo sólido - Legislação - Brasil
Tratamento de resíduo - Brasil
Proteção ambiental - Brasil
Desenvolvimento sustentável
Sociedade de consumo
Resíduo sólido - Política - Brasil
metadata.dc.subject.planning: Direito Geral
metadata.dc.identifier.other: 128762
URI: https://dspace.almg.gov.br/handle/11037/15373
metadata.dc.identifier.classification: 34
metadata.dc.language: Português (Brasil)
Appears in Collections:Revista da Procuradoria-Geral do Município de Belo Horizonte

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PDIexibepdf.pdf681,07 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.